Apple processa ex-funcionário acusado de vazar informações para jornalistas

Apple processa ex-funcionário acusado de vazar informações para jornalistas

A Apple abriu uma ação judicial nos Estados Unidos contra um engenheiro acusado de vazar informações sensíveis da empresa. O ex-funcionário teria sido o responsável por fornecer detalhes antecipados sobre o Diário (Journal), um aplicativo lançado no fim de 2023 pela empresa.

De acordo com o texto do processo, o engenheiro “bem remunerado” Andrew Aude entrou na empresa em 2016, logo após se formar na faculdade. No ano passado, entretanto, a companhia descobriu que ele era o responsável por repassar ilegalmente informações sigilosas de projetos para outras pessoas.

Especificamente, Aude ficou meses em contato com um repórter do The Wall Street Journal — o veículo que publicou pela primeira vez os vazamentos do Diário.

Em outras oportunidades, o engenheiro teria passado detalhes de outros serviços e apps para mais jornalistas até para outras empresas.

Acusado tentou até apagar evidências

Segundo uma imagem em anexo na ação judicial, o engenheiro não recebeu nada pelas colaborações. Aude simplesmente queria acabar de propósito com certos projetos da empresa dos quais ele não gostava e estava disposto a “espalhar o caos” na companhia.

Como ele trocou várias mensagens e arquivos usando o celular corporativo, boa parte do conteúdo acabou das mãos da Apple.

A empresa então confrontou o engenheiro, que durante a conversa pediu para se retirar da sala na tentativa de apagar alguns dos arquivos do mensageiro Signal. Nesse momento, entretanto, a empresa já tinha provas mais do que suficientes para acusá-lo.

O Diário, app vazado de propósito pelo engenheiro.O Diário, app vazado de propósito pelo engenheiro.Fonte:  Apple 

O engenheiro foi demitido por justa causa e, mesmo assim, se recusou a cooperar com o próprio processo de desligamento. Só depois de muitas tentativas de resolução amistosa que a Maçã abriu a ação judicial.

A Apple alega que vazamentos prejudicam a imagem da companhia, alertam concorrentes e acabam com um fator surpresa que pode ajudar até nas vendas de seus produtos. Além disso, os funcionários assinam acordos de não divulgação (NDAs) quando contratados, o que só piora a situação do ex-funcionário.

Aude agora vai responder ao processo e pode ter que pagar uma compensação financeira à empresa. O julgamento ainda não tem data para acontecer.

source

@nvgazeta.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress