7 tecnologias antigas que eram melhores (ou não) que as atuais

7 tecnologias antigas que eram melhores (ou não) que as atuais

A tecnologia costuma envolver equipamentos ou serviços que evoluem e são substituídos por versões mais modernas. Nesse sentido, produtos antigos perdem popularidade ou deixam de existir totalmente.

Mas nem todas essas atualizações são unanimidade. Muita gente sente saudades e defende que algumas tecnologias de anos atrás são melhores. Mais do que apenas nostalgia, essa defesa tem argumentos bem convincentes.

Neste especial de 1º de abril, o TecMundo reuniu tecnologias clássicas que hoje, apesar de deixadas de lado, deveriam ser valorizadas por fazerem de forma mais simples — e até mais eficiente, diriam alguns — a mesma coisa que alternativas modernas.

1. Radio relógio é melhor que Alexa

Smart speakers hoje são a melhor companhia de muita gente, servindo para jogar conversa hora, passar as horas, despertar, tocar música ou até contar uma piada. Mas algumas dessas tarefas já não eram feitas tão bem quanto por um bom e velho rádio relógio e suas estações?

Design rústico, porém funcional. (Imagem: Getty Images)Design rústico, porém funcional. (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

Esse aparelho era bem mais objetivo, informando só a hora e não informações aleatórias sobre o clima ou curiosidades aleatórias. O rádio relógio também não era ativado sem querer enquanto você conversava com alguém — sendo que um speaker como a Alexa só faz isso porque ela fica escutando tudo o que você fala.

Além disso, até onde se sabe, nenhum gato comprou uma tábua de carne de quase R$ 300 usando um rádio relógio.

2. Locadora é melhor que streaming

O tempo das locadoras de filmes ou jogos acabou com a mídia digital e plataformas de streaming. Quem defende o cenário atual diz que tudo está disponível sem sair de casa, mas a situação é mesmo tão favorável?

Não esqueça de rebobinar antes de devolver. (Imagem: Getty Images)Não esqueça de rebobinar antes de devolver. (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

Para começar, a mídia digital dificilmente pertence ao usuário. Por ser um “aluguel”, tudo depende da boa vontade da dona do streaming ou loja digital. São muitos os casos de apps, jogos e filmes desaparecendo completamente.

O estabelecimento físico pode parecer antiquado, mas tem suas vantagens. Nas locadoras, demoramos menos tempo para escolher os filmes do que vasculhando um catálogo digital e nem precisamos pagar uma mensalidade cada vez maior só para entrar no local.

Você realmente prefere o streaming? (Imagem: Getty Images)Você realmente prefere o streaming? (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

E frequentar a locadora era um ritual. Você conversava com uma pessoa e recebia sugestões do que assistir, sem precisar confiar num algoritmo. Além disso, não existia acervo separado por serviço: já pensou ir de uma locadora para outra até achar em qual delas está o filme desejado?

3. MSN Messenger é melhor que WhatsApp

O bom e velho MSN, que depois virou Windows Live Messenger, foi o aplicativo de bate-papo favorito dos brasileiros por anos. O WhatsApp hoje ocupa esse posto, mas o programa da Microsoft era mais charmoso e atrativo.

Só no MSN você podia chamar a atenção dos amigos sem parar, jogar sem abrir o Steam ou colocar música no status para todos saberem o que você anda ouvindo. O WhatsApp conta com as populares figurinhas, mas foram os winks que andaram para que elas pudessem correr.

Os winks. (Imagem: Reprodução/Buzzfeed)Os winks. (Imagem: Reprodução/Buzzfeed)Fonte:  Buzzfeed/Reprodução 

Outro ponto que torna o MSN superior é o fato de você só ficar online nele quando quiser — se escondendo pelo “Aparecer offline” ou simplesmente fechando o programa. Hoje, estamos 24 por dia disponíveis no WhatsApp pelo PC ou celular, recebendo mensagens a todo momento.

5. Robo Ed melhor que ChatGPT

Os chatbots estão em alta, mas o público brasileiro conheceu um serviço de IA muito parecido anos antes. Uma sensação do começo dos anos 2000 era o Robô Ed, lançado por um programa da Petrobras.

Não tem comparação: o Robô Ed era educativo e só queria ensinar você sobre petróleo, gás natural e energia renovável. Não é nada perto dos chatbots atuais, acusados de quererem dominar o mundo.

O simpático Robô Ed. (Imagem: Reprodução/Inbot)O simpático Robô Ed. (Imagem: Reprodução/Inbot)Fonte:  Inbot 

Além disso, o Ed era educado e admitia quando não sabia sobre algum assunto — ao contrário do ChatGPT, que pode “alucinar” e dar informações equivocadas ou até desrespeitosas, mas com convicção. Quer outro argumento infalível? O Ed era um produto nacional, ou seja, tecnologia brasileira e que deve ser valorizada.

6. Vassoura é melhor que robô aspirador

Esqueça o sonho do Roomba próprio: só quem nunca varreu a casa com uma boa vassoura de cerdas finas e cabo ergonômico ousa defender um robô aspirador para qualquer faxina.

A boa e velha vassoura é ideal para juntar aquela poeirinha fina da casa, independente do piso, tamanho da casa e obstáculos pelo caminho. Esse equipamento rústico existe há séculos praticamente no mesmo formato, reforçando a velha máxima de que em time que está ganhando não se mexe.

Um robô aspirador. (Imagem: Getty Images)Um robô aspirador. (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

Por outro lado, o robô aspirador corre o risco de estragar, perder a carga no meio da faxina, atropelar o seu pet ou, na pior das hipóteses, até gravar imagens íntimas de você — algo que a boa e velha vassoura jamais faria.

7. Moeda de metal é melhor que criptomoeda

O que acontece com as criptomoedas se acabar a energia elétrica? E se você precisa pagar algo e não tiver o celular ou PC por perto? Apesar de cada vez mais rara, a moeda tradicional ainda serve para comprar coisas de pequeno valor: passagem de transporte público, salgados ou um cafezinho.

A segurança também é importante aqui. Assaltos acontecem, mas dificilmente alguém carrega grandes valores em moeda nos bolsos. Com dinheiro virtual, enormes quantias são furtadas em questão de minutos.

Ao contrário da bitcoin, um real continua valendo um real na manhã seguinte. (Imagem: Getty Images)Ao contrário da bitcoin, um real continua valendo um real na manhã seguinte. (Imagem: Getty Images)Fonte:  GettyImages 

A criptomoeda pode deixar você rico da noite para o dia? Sim, mas ela também pode desvalorizar ou ser um esquema fraudulento, que desaparece sem deixar vestígios. E nem vamos entrar nos NFTs: eles nem se comparam ao fenômeno do álbum de figurinhas da Copa do Mundo a cada quatro anos.

source

@nvgazeta.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress